.SOBRE CAFÉS E AFINS.

Barolo – Uberlândia/MG 26/02/2012

Filed under: Massas — Fernanda & Vinícius @ 11:21 PM
Tags: , , ,

Escolhi o Barolo como primeiro post por ser um restaurante que gostei muito desde o primeiro momento mas que também me fez torcer o nariz em alguns pontos.

Bom, vamos às apresentações: o Barolo – Italian Dressing é um restaurante todo charmoso que fica dentro do Center Shopping em Uberlândia/MG. A proposta do restaurante é oferecer um buffet de saladas e/ou buffet de massas por um valor fixo ou pratos a la carte.

Estive lá a primeira vez em dezembro de 2011 junto do meu noivo que já conhecia a casa e tinha elogiado bastante o local em outras oportunidades. Fomos almoçar em um domingo após a prova de um concurso que eu tinha feito e dentre as opções que o restaurante dispões, optamos pelo buffet de massas + saladas, já que era o que melhor atendia a nossa opção de não comer carne. O lugar é delicioso, o ambiente super aconchegante e o atendimento foi impecável. Durante o almoço conversamos sobre nosso casamento e sobre a nossa decisão de realizar um mini wedding. Como a nossa intenção é de excluir a carne do cardápio, a proposta de um buffet de massas é bastante interessante, especialmente pensando em agradar aqueles nossos amigos que vivem apenas pelo churrasco e não conseguem conceber uma alimentação sem carne. Pois bem, o lugar é aconchegante, a comida muito boa e de quebra ainda tem três ambientes extras ao salão do restaurante para realizar eventos. Por um instante a idéia nos pareceu excelente e fomos conversar com a responsável de eventos.

A decepção começou o português. Ok, você pode até me achar cretina por isso e um pouco fresca, mas acho imperdoável uma funcionária de restaurante tão cheio de pompas olhar na minha cara e falar que “vareia muito.” Respirei fundo, trocamos contatos e fiquei muito empolga com a idéia de realizar um jantar ali com nossa família, se não fosse por ter que pagar todo o consumo de bebidas depois do evento. Estaria tudo bem se fosse um jantar de confraternização de final de ano e não o nosso casamento ou que pelo menos o preço tivesse algum diferencial por ser um evento fechado com um número considerável de convidados. Imagina pagar R$4,90 por cada chopp que cada um dos 100 convidados tomasse?

Também tinha uma “taxa extra de sobremesa” que eu teria que pagar caso levasse bolo pois, segundo as palavras da tal moça, oferendo o bolo eu reduziria o consumo da sobremesa oferecida pelo restaurante, que era um panaché de frutas da estação servido de ganache de chocolate. Ressalto que essa tal sobremesa que eles ofereciam estava inserida no valor total que eu pagaria por cada convidado, ou seja, eu pagaria a sobremesa local se houvesse ou não o consumo, o que não justifica a cobrança da tal taxa extra, especialmente por eles não oferecerem bolo e sim outro tipo de sobremesa.

Tentamos negociar um preço fechado das bebidas, já que qualquer outro buffet trabalha com um per capita médio, mas não teve conversa. Só faltou falarem “É assim que trabalhamos, e se não tá bom pra você, passar bem.” E se tem uma coisa que me deixa de nariz torto é ver que o local não tá nem aí pra tentar ganhar o cliente.

Um tempinho se passou e na última quarta-feira, dia 22 de fevereiro, era aniversário do Vi e ele queria ir jantar lá. Como nos enrolamos um pouco pra sair de casa chegamos no restaurante já um pouco tarde, cerca das 23h. Até onde lembrávamos, o restaurante funcionava até a meia-noite, então calculamos que nessa uma hora seria suficiente para jantarmos e ir pra outro lugar depois, se fosse esse o caso.

Repetimos a  mesma escolha da última visita ao local, escolhemos um vinho e fomos até a mesa de frios para nos servir. Cinco minutos depois que sentamos veio o garçom: “Os senhores desejam algo mais ou podemos retirar as saladas da mesa?” Eu engoli seco e dissemos que não iriamos no servir mais lá. Depois fomos nos servir de massa e o episódio se repetiu. Terminamos de comer e na hora de pagar a conta eu tive que perguntar pro garçom qual era o horário de funcionamento do restaurante só pra confirmar se não tínhamos nos enganado sobre o horário. Não tínhamos.

Calma aí, cara pálida! Eu tô pagando o mesmíssimo valor que os clientes que chegaram lá as 21h pagaram. Tudo bem que a gente dificilmente comeria mais do que comemos, mas não é essa a questão. A questão é o local ter um horário X de funcionamento e uma hora inteira antes de encerrar os serviços o restaurante começa a ser desmontando, não importando se ainda tem pelo menos 20 pessoas no local, porque era mais ou menos esse o número de comensais naquele momento.

Entendo o trabalho que é tocar um restaurante durante 12 horas de funcionamento ao público todos os dias, mas se você quer estar com toda a louça lavada e tudo devidamente organizado precisamente às 00h00, não receba novos clientes sob nenhuma condição a partir de um determinado horário e poupe o cliente e os funcionários de um tamanho constrangimento. Falo dos funcionários porque o garçom também ficou super sem graça as duas vezes que veio à nossa mesa perguntar se ainda iríamos querer nos servir. Se chegamos tarde demais seria muito mais educado e político da parte do estabelecimento dizer que já estava encerrando as atividades. Oras, sabemos que saímos tarde de casa mas se o local se propõe a receber novos clientes pouco antes de fechar, que nos atenda tão bem quanto o cliente que chegou ao meio-dia.

Não sou dessas que acha que o cliente tem sempre razão, mas não consigo entender como um local que se propõe à atender o público consegue ter uma conduta tão medíocre como o Barolo teve em dois momentos. Há quem discorde de mim e possa até dizer que eu tô sendo muito exigente de querer ficar lá depois do horário de funcionamento. Mas se ainda não fui clara espero ser agora: a única coisa que eu queria era ter a disposição os serviços pelos quais eu estava pagando até o horário limite de funcionamento do restaurante e não ser obrigada a engolir a comida meia hora antes deles encerrarem as atividades. Existe uma diferença entre horário de funcionamento e horário de atendimento ao público e é isso que eu acho que a gerência está precisando aprender a diferenciar.

Definitivamente, não tenho mais a pretensão de voltar lá. A comida é gostosa sim, mas nada de espetacular que faça do Barolo o único restaurante interessante com a mesma proposta de cardápio na cidade.

Anúncios